Do planejamento ao teste

Quando começamos a planejar um filho não tínhamos a real noção do quanto as nossas vidas iriam mudar. Na época lembro que planejávamos a data para o provável nascimento, onde seria concebido… tudo muito mágico e romântico. Porém, no início do planejamento não foi bem assim que aconteceu. Íamos viajar nas férias para o Rio de Janeiro, por isso brincávamos que seria uma carioquinha e que nasceria entre outubro e novembro.

Quando voltamos das férias procurei por uma obstétra, fiz uma série de exames e acabei descobrindo um pólipo no útero. Não era algo tão grave, mas a médica me disse que o ideal seria retirar antes de engravidar. Minha frustração foi tão grande que cheguei a pensar que não conseguiria ter filhos. Decidi fazer o procedimento o mais rápido possível. Dois meses após a intervenção já poderíamos retomar o planejamento, mas estava com medo: será que o útero está integro, será que estou saudável para engravidar, ….. viajem total, faz parte.

Só quatro meses depois decidi: estou pronta. Quando marcamos a consulta com a obstetra não me passava pela cabeça a possibilidade de que já estivesse grávida. Na ocasião lembro que ela me disse que poderia levar muito tempo. Então se até o fim do ano eu não engravidasse só ai começaríamos a investigar o motivo e ver outras possibilidades. Na semana seguinte enchi o saco do meu marido com o desejo de comer um doce só não sabia qual. Comi um chocolate, mas não era isso que queria, então fomos ao shopping escolhi outro doce e quando terminei descobri que também não era o que queria. Meu marido achou estranho e questionou se eu estava no período menstrual. Comecei a contar nos dedos e percebi que deveria estar no primeiro dia naquela data. No início pensei: não pode ser, seria muito rápido, mas ok vamos esperar o atraso de fato.

No outro dia nada novamente. Não desceu, mas ainda pensei: posso estar ansiosa vamos esperar mais uns dias. Na sexta-feira não aguentei comprei um teste de farmácia no final da tarde, fui para casa sozinha e fiz o teste: deu positivo. E agora? Será?

Liguei pro Cássio já chorando, mas ainda com dificuldade para acreditar. Resolvemos falar com a médica e fazer o exame de sangue que também deu positivo. Nossa! É incrível a felicidade deste momento. A Sofia estava a caminho. Engraçado que só tínhamos este nome na cabeça nem pensávamos na possibilidade de ser um menino.
O dia em que recebemos o resultado era bastante triste pra família, mas acho que com a notícia nos enchemos de alegria novamente.
A partir deste momento saímos contando para todos que estavam por perto.

Sempre pensei que contaria para poucas pessoas ou para os mais íntimos. Que nada, com o tempo, o registro foi até para Facebook. A vontade é de contar ao mundo o quando estamos felizes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s